Meditação Mindfulness para a cura

O equilíbrio mente e corpo, alcançável dentre outras formas por práticas como a da meditação, é um caminho para redução de diversos males que vão de estresse crônico a dores, chegando a contribuir, inclusive, no combate a dependências químicas. Como comenta a médica anestesiologista especialista em tratamento da dor crônica da clínica Libertà Saúde, Dra. Rebeca Vasconcelos, “uma vida mais saudável e longa passa pelo cultivo de emoções positivas”.

Recentemente a Dra. Rebeca Vasconcelos participou do curso Mindfulness para controle da ansiedade, baseado no livro Atenção Plena Mindfulness, de Mark Williams e Danny Penman. De acordo com ela, levar os pacientes a terem a ciência de que o tratamento físico precisa estar associado a uma postura mental que convirja para a cura, é o desafio da medicina moderna. Para subsidiar tal movimento, uma série de estudos tem comprovado a eficácia da meditação e seus reflexos no físico.

Uma delas, levantada no livro no qual se baseou o curso, vem do Instituto de Investigação Biomédica de Barcelona, na Espanha, e foi publicada na revista Psychoneuroendocrinology. Após oito horas de prática de atenção plena, como também é chamado do mindfulness, os meditadores apresentaram uma gama de diferenças genéticas e moleculares, incluindo alteração nos níveis de regulação genética e menor ativação dos genes pró-inflamatórios.

Entre as funções destes genes está a da recuperação física após situações estressantes. "O mais interessante é que as mudanças foram observadas em genes que são os atuais alvos de medicamentos anti-inflamatórios e analgésicos", destacou na ocasião a médica responsável pela investigação, Perla Kaliman.

Pesquisa mais recentes têm apontado para benefícios sobre doenças inflamatórias e cardiovasculares, como as que estão em desenvolvimento na Associação Americana do Coração.  

Mindfulness – também chamada de Plena Atenção ou Vipassana. Consiste em uma prática meditativa que exercita a atitude de prestar atenção ao que acontece no momento presente com curiosidade e bondade. Esta prática leva à construção de uma atenção constante sobre os pensamentos, trazendo consciência aos sentimentos e padrões comportamentais que, por vezes, são repetidos de maneira automática.

“A prática do mindfulness tem aproximadamente 2.600 anos e foi adaptada para a medicina moderna pelo médico Kabat - Zinn, PhD no centro médico da Universidade de Massachusetts, em 1079. Ele é professor Emérito de Medicina e diretor fundador da Clínica de Redução do Stress e do Centro de Atenção Plena em Medicina, na Escola Médica da Universidade de Massachusetts. Seus estudos passam pela medicina oriental, meditação e treinamento psicoeducacional.

Responsável técnica: Dra. Rebeca G. de Lacerda Vasconcelos CRM 18290 DF