A importância de acreditar

Manter a positividade e a motivação são fundamentais para o sucesso no tratamento da dor crônica

Se você sofre com dores crônicas e busca meio de aliviá-las, eis a palavra-chave para o sucesso: confiar. Estudos recentes mostram que a falta de confiança pode interferir negativamente na possibilidade de êxito dos tratamentos médicos. “Se o paciente não acreditar que o que está sendo feito pode minimizar ou até mesmo retirar por completo a sua dor e o sofrimento a ela associada, ele é até capaz de seguir todas as recomendações, mas fará tudo com pouco empenho”, afirma a médica anestesiologista especialista em tratamento da dor crônica, Dra. Rebeca Vasconcelos.

“Não adianta seguir as orientações, tomar os remédios, fazer os exercícios e não acreditar. Os sentimentos, as emoções e a percepção que uma pessoa constrói sobre a sua doença tem muito poder”, completa.

A qualidade de vida que o paciente com dor procura e o alívio para aquela situação está intimamente ligada à forma como ele encara a doença. Por isso a especialista afirma que é essencial que o paciente se mantenha positivo. “A principal dica é: independente do maior sofrimento que possa existir na sua vida, não se coloque como vítima. Sempre busque ajuda, tente prosseguir e se colocar de maneira ativa no tratamento da sua doença e do seu problema de saúde”.


E como manter a motivação? A primeira dica é encontrar profissionais que cuidem individualmente de cada paciente. Muitas vezes a relação com o médico é mais importante que qualquer medicamento ou terapia. “Tratar de pessoas com doenças crônicas requer um algo a mais. É preciso saber lidar com a capacidade de resiliência de quem adoeceu e também priorizar a qualidade de comunicação com o paciente”, ressalta Dra. Rebeca. Segundo ela, a sensibilidade do profissional em identificar em que estágio o paciente está é essencial para a formação do vínculo de confiança entre eles.

“Queremos ajudar nosso paciente a se sentir motivado para realizar as adaptações necessárias no seu dia a dia, mas precisamos nos lembrar que a mudança deve surgir dele, não pode ser uma imposição”, explica.

Outro ponto fundamental é compreender a importância de contar com uma rede de apoio multidisciplinar. Muitas vezes, pessoas que sofrem com dores incapacitantes precisam de acompanhamento psicológico, médico e terapêutico. “A dor crônica é algo que normalmente tem um tratamento longo, talvez pela vida toda. Por ser algo prolongado, o paciente precisa confiar. É indicado também que ele tenha acompanhamento de uma equipe e não deposite toda sua confiança num só profissional”, destaca a médica. Ela ressalta ainda que não há um modelo ideal de tratamento que sirva para todos. “Nós da clínica Libertà Saúde vemos cada paciente de maneira individual, específica e personalizada. Só assim conseguimos ajustar tudo o que o paciente precisa, cada peça do quebra-cabeça e, assim, garantir a ele um bom atendimento. Tudo isso traz ao paciente confiança que o tratamento vai dar certo e, consequentemente, temos sucesso na nossa missão”.

Responsável técnica: Dra. Rebeca G. de Lacerda Vasconcelos CRM 18290 DF